2012-09-21 11.41.11

 

 Por Gustavo Bessa

 

Antes de ensinar os discípulos a orarem, Jesus lhes disse: “O seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem” (Mateus 6.8). Essas palavras de Jesus vão direto ao ponto, confrontando as ideias erradas que muitas pessoas têm acerca de Deus. Muitos guardam nas lembranças a imagem de um deus que é totalmente distante e alheio às situações do nosso dia-a-dia. Outros tantos supõe que deus é um ser caprichoso, que devemos mimar com palavras e presentes se quisermos que ele faça alguma coisa por nós. Jesus, contudo, mostra que Deus não está distante e nem é um ser mimado, mas é um Pai sempre presente, que se importa conosco e sabe do que precisamos.

 

 

Deus sabe do que precisamos porque Ele nos conhece de perto. Podemos não ter consciência, mas Deus está, em todo o tempo, olhando para nós. Davi tinha a consciência da presença de Deus com ele de uma maneira muito clara. Em um dos salmos, ele escreveu: “Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me sento e quando me levanto; de longe percebes os meus pensamentos. Sabes muito bem quando trabalho e quando descanso; todos os meus caminhos são bem conhecidos por ti. Antes mesmo que a palavra me chegue à língua, tu já a conheces inteiramente, Senhor” (Salmo 139.1-4).

 

 

Quer estejamos no secreto do nosso quarto ou na agitação do ambiente de trabalho, Deus sabe o que se passa em nosso coração. Ele também consegue perscrutar e decidir o que precisamos em cada momento de nossas vidas. Deus jamais se engana ou se deixa levar por circunstâncias ou apelos. Todas as pessoas que têm filhos entendem o que estou escrevendo. Porque os pais conhecem os filhos, eles sabem exatamente o que dar a eles. Os pais não dão necessariamente o que os filhos pedem, mas, sim, o que os filhos precisam. Porque conhecem os filhos de perto, os pais sabem do que os filhos necessitam.

 

 

Certa vez, eu estava com a minha família na casa de uns irmãos. Era tarde da noite. Havíamos ensaiado ir embora, mas alguém puxou um louvor e começamos a cantar novamente. De repente, eu percebi que o meu filho mais velho estava em um canto da sala provocando o irmão mais novo. Naquele momento, eu fui até eles e percebi que a provocação não era motivada por outra coisa, senão pelo desejo de receber um abraço. Ao invés de exercer a autoridade e repreender o meu filho mais velho, eu o abracei. Imediatamente, ele se entregou ao meu abraço e começou a chorar e a orar intensamente. Naquele momento, o meu filho não precisava de uma palavra de orientação, mas de um abraço.

 

 

Se nós, com as nossas falhas e limitações, conseguimos saber do que os nossos filhos precisam, quanto mais o nosso Pai do céu! O nosso Pai celestial, porque nos conhece de perto, sabe exatamente do que nós precisamos. Podemos nos entregar completamente ao abraço dEle porque Ele, melhor do que qualquer pessoa, cuida maravilhosamente de nós.

 

1 – Você se lembra de alguma vez em que Deus lhe deu algo que tão somente passou pelo seu coração e você nem sequer pediu audivelmente?

2 – Como você pode cultivar a consciência da presença de Deus na sua vida?

3 – Qual é a sua maior necessidade hoje?

 

FacebookTwitterGoogle+