Brasil

 

 

Gustavo Bessa

 

Eu sei que parece muito tarde para desejar um Feliz Ano Novo, mas eu não escrevo nada desde o Natal do último ano. Tirei um tempo para orar em relação ao ano de 2016. Deus colocou uma palavra em meu coração: RECONSTRUÇÃO. Sei que Deus ainda está desconstruindo muitas coisas. Ele começou a sacudir os nossos alicerces em 2014, continuou essa obra de desconstrução em 2015, e ainda está abalando muitos alicerces em 2016. Contudo, eu creio que Deus iniciará uma obra de reconstrução nesse novo ano.

 

Em 2014, o Brasil sediou a Copa do Mundo e foi eliminado depois de perder de 7×1 para a Alemanha. O futebol, “paixão dos brasileiros”, tornou-se a decepção dos brasileiros. Meses depois, as eleições sacudiram o país de norte a sul. Foram debates, embates, militância e, sobretudo, desconstrução. Não somente os candidatos foram desconstruídos, mas o país foi abalado. No fim, o Brasil revelou-se dividido. Foram as eleições mais disputadas e doídas dessas últimas décadas.

 

Em 2015, a economia brasileira derreteu juntamente com a política. À medida que a operação Lava Jato jogava água para limpar as sujeiras na Petrobrás, as faces de muitos políticos foram expostas. E a luz não mostrou, senão a feiura de muitos rostos. Por detrás de inúmeros discursos e performances havia a compra e a venda do país para a ganância de alguns políticos e bilionários. Os alicerces da política eram sacudidos e os fundamentos da economia, abalados. Ao verem a feiura da política brasileira, as nações questionaram a nossa economia e retiraram os investimentos da nação. O dinheiro internacional, que durante anos movimentou as engrenagens da economia, “bateu as asas e voou” para bem longe: Índia, Vietnã, e também Chile e Peru.

 

Estamos iniciando o ano de 2016. Ainda que alguns prognósticos sugiram que a situação irá piorar, eu vejo esperança. Existe a possibilidade do país ser reconstruído em cima de novas bases. No meio das crises, depois de não encontrarem respostas em lugar algum, as pessoas se voltam para Deus. E o mais maravilhoso disso tudo é que Deus não se esconde, mas se deixa encontrar. E a promessa dEle é: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos; então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”. Vem, Senhor, e reconstrua a nossa vida e também a nossa nação.

 

FacebookTwitterGoogle+