“Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua Terra”. (2 Crônicas 7.14)

“Eu vou transformar o Brasil. Mas vocês devem transformá-lo a partir dos seus joelhos primeiro”

“Tocai a trombeta em Sião, promulgai um santo jejum, proclamai assembleia solene”. (Joel 2.15)

Estamos vivendo dias históricos. Anos de clamores, jejuns e lágrimas em favor da nação já provocaram mudanças e livramentos. Mas ainda há muito a ser transformado. A Igreja brasileira carrega o peso da responsabilidade. Temos a chave da autoridade que move os céus e a terra. As promessas de Deus para a cura da nação pertencem a nós e exigem nosso posicionamento. Estamos experimentando o fortalecer no comprometimento em jejuns e oração pelo país. Os intercessores sentem as “dores de parto” se intensificar. Cremos que estamos no limiar de um novo tempo, da hora de dar à luz a um Brasil transformado.

Na páscoa deste ano mais de onze mil adoradores e intercessores se reuniram em um Congresso cujo tema foi Adoração e Transformação. Ouvimos testemunhos sobre a transformação de Uganda, país antes assolado pela guerra e pela Aids. Circunstâncias que pareciam impossíveis de serem solucionadas, até mesmo pelo governo do país, foram transformadas pela postura da Igreja em unidade, em arrependimento e em oração.

A profetiza Cindy Jacobs entregou uma mensagem: “Assim diz o Senhor: Estou dando ao Brasil uma segunda chance. Estou dando a vocês uma janela, diz o Senhor, por onde vocês vão começar a orar. E assim diz o Senhor: Se vocês não se apropriarem desta janela eu vou começar a abalar a economia. O Senhor diz: Eu vou transformar o Brasil. Mas vocês devem transformá-lo a partir dos seus joelhos primeiro. Comecem a clamar dia e noite. Eu edificarei a Casa de Oração para todas as nações a partir do Brasil. Eu vou começar nos campos universitários, nas escolas, nos prédios do governo. Assim diz o Senhor: É o meu desejo derrubar o principado da corrupção e o principado da pobreza porque virei e abalarei tudo o que pode ser abalado. Estou preparando uma geração pioneira. Que se levantem os Joões Batistas! Levantem-se os Joões Batistas! Levantem-se os abridores do caminho que prepararão o caminho do Senhor para a transformação do Brasil.”

Nos últimos dias assistimos o povo brasileiro saindo às ruas e pressionando as autoridades para que haja mudança. A profecia de Jacobs foi relembrada e espalhou-se pelas redes sociais. A Igreja reconhece o mover do Espírito impulsionando a história. O amor pelo Brasil está sendo renovado nos corações dos brasileiros, que cantam o Hino Nacional, vestem verde e amarelo e carregam a bandeira, com um sentimento que vai muito além do futebol, mas como um protesto por dias melhores na pátria amada. Como escreve Isaías 62:5: “Porque, como o jovem desposa a donzela, assim teus filhos te desposarão a ti; como o noivo se alegra da noiva, assim de ti se alegrará o teu Deus”. O povo brasileiro está amando e se comprometendo com a sua terra.

Em meio a tudo isso Cindy Jacobs falou comigo ao telefone. Ela teve uma visão espiritual com o símbolo da anarquia, a letra A dentro de um círculo. O Senhor disse a ela que a Igreja brasileira precisa paralisar o espírito de anarquia que veio para ferir o país. O inimigo sempre tentará macular o que Deus está fazendo, e este é o momento em que Deus está levantando o Brasil como um testemunho entre as nações. Jacobs se reuniu com Lou Engle (Fundador do movimento The Call, que desperta e reúne a Igreja nas nações, em ajuntamentos solenes de adoração, intercessão e proclamação da Palavra). Eles discerniram que precisamos de uma estratégia de oração pelo Brasil e conclamaram um jejum de 21 dias, culminando com um dia nacional de oração pelo país, no domingo, 14 de Julho.

Após este telefonema com Jacobs conversei com a Pastora Ezenete Rodrigues, que está à frente de um exército de intercessores em Lagoinha e em todo o Brasil. Há alguns dias o Senhor também lhe disse que deveria acontecer um dia de mobilização nacional de oração pelo Brasil nas igrejas. A proposta do dia 14/7 veio confirmar isso. Os intercessores também discerniram que a Igreja precisa ir para as ruas, não com passeatas ou marchas, mas a lugares estratégicos das cidades e orar.

Foi então que o Senhor me conduziu a compartilhar essas direções com a Apóstola Valnice Milhomens, que é reconhecida por sua consagração e jejuns, há mais de 20 anos, a favor do país. As palavras de Valnice foram: “Esta é a agenda do Espírito”. Percebemos que esta estratégia não nasceu na mente ou no coração de uma pessoa ou ministério, mas é algo que o próprio Deus planejou.

As confirmações foram impressionantes. Em uma Convenção esse ano o Senhor disse a Valnice que a Igreja deveria ir às ruas, às praças. Disse que o avivamento vem das ruas, vem de fora para dentro. Essa palavra foi entregue por um profeta antes mesmo das recentes manifestações populares. Já estava sendo organizada uma mobilização para que a Igreja ore nas ruas no sábado, dia 13/7. Além disso, na manhã do dia em que conversamos houve uma conferência com diversos líderes da nação. Foi definido que no dia 15 de Julho eles se encontrariam em Brasília para orar. Ficamos impressionadas, pois a contagem dos 21 dias de jejum acabam exatamente no dia 15/7, dia deste ajuntamento de pastores, profetas e apóstolos do país.

Compartilho agora a estratégia para a Igreja neste momento crucial na história do Brasil:

21 dias de jejum e oração: de 25/6 a 15/7.
O jejum pode ser feito de diversas maneiras. Por exemplo, há o jejum em que a pessoa ingere apenas alguns tipos de alimentos, o jejum em que a pessoa retira uma refeição, o jejum em que a pessoa se alimenta apenas à noite, o jejum de líquidos (apenas bebendo líquidos), o jejum integral (apenas bebendo água).

Se você já está fazendo um período de jejum, continue até o dia 15 de julho para estar em unidade com as demais igrejas do Brasil.

13/7 – sábado: A Igreja Nas Ruas, orando em lugares estratégicos. Grupos de crentes orando na Prefeitura, na Câmara dos Vereadores, na Assembleia Legislativa, em praças e lugares de monumentos, em frente a hospitais, escolas, universidades, TVs e rádios, e todo lugar estratégico onde o Espírito do Senhor direcionar.

14/7 – domingo: Cada igreja fará seus cultos como reuniões de adoração, oração e proclamação da Palavra a favor do país. O ideal é que sejam feitas 12 horas ininterruptas de adoração, oração e proclamação da Palavra.

15/7 – segunda-feira: Em Brasília, pastores, apóstolos, profetas, intercessores e líderes de todo o Brasil se reunirão para 12 horas de adoração, oração e proclamação da Palavra em favor do país. Local: No Templo da INSEJEC, que fica no centro do Distrito Federal, a partir de 8 horas da manhã.

“Por amor do Brasil não me calarei e não me aquietarei. Sobre os teus muros, ó Brasil, pus guardas, que todo o dia e toda noite jamais se calarão; vós, os que fareis lembrado o Senhor, não descanseis, nem deis a ele descanso até que restabeleça o Brasil e o ponha por objeto de louvor na terra”. (Isaías 62.1a, 6 e 7) *adaptado